Header AD

Leitura de Cabeceira | George R. R. Martin e As Crônicas de Gelo e Fogo

 
 
George Raymond Richard Martin nasceu em Bayonne, no dia 20 de setembro de 1948. Ele é um roteirista e escritor de ficção científica, terror e fantasia estado-unidense mais conhecido como George R. R. Martin. O autor ficou conhecido por escrever a série de livros de fantasia épica As Crônicas de Gelo e Fogo.

História

 
George nasceu na cidade de Bayonne , no estado americano de Nova Jersey, a 15 km de Nova York, no dia 20 de setembro de 1948. Filho de Raymond Collins Martin, um estivador, e de sua esposa, Margaret Brady Martin, uma dona-de-casa, George possuí ainda duas irmãs mais novas, Darleen (nascida em 1949) e Janet (nascida em 1950). Batizado como George Raymond Martin, decidiu, ainda na adolescência, adotar "Richard" como um de seus nomes . De uma família humilde, o escritor viveu durante muitos anos de sua infância residindo com seus pais e irmãs em casas populares em Bayonne, construídas pelo governo local para abrigar pessoas de baixa renda (principalmente imigrantes europeus que fugiam da Segunda Guerra Mundial e se estabeleciam na cidade de Nova York e seus arredores).
 
Em 1970, Martin recebeu seu Bacharelado em jornalismo na Universidade Northwestern, Illinois, se formando com muitos elogios. Ele depois completou um Mestrado em jornalismo, também em Northwestern, em 1971.
 
Martin começou a escrever contos de ficção científica no começo da década de 1970, e apesar de o início de sua carreira não ter sido fácil (uma de suas histórias foi rejeitada por diferentes revistas 42 vezes), ele nunca se desencorajou; anos depois ele venceria seu primeiro Hugo Award e Nebula Award por um de seus contos. Sua primeira história indicada para o Hugo e para o Nebula foi With Morning Comes Mistfall, publicado na revista Analog Science Fiction and Fact em 1973. Apesar de não ter vencido nenhum dos prêmios, Martin não se importou, notando que se juntar ao Clube dos "Perdedores do Hugo e Nebula" foi uma grande realização para ele.
 
Durante a década de 1980, Martin começou a escrever para a televisão e trabalhar como editor de livros. Para a televisão, ele trabalhou em The New Twilight Zone e Beauty and the Beast. Como editor de livros, ele supervisionou o desenvolvimento da série Wild Cards. A série continua sob a direção e edição de Martin, com mais de vinte volumes publicados; em 2012 a série teve seu aniversário de 20 anos.
 
A novela de Martin, Nightflyers, foi adaptada em um filme no ano de 1987.
 
Em 1991, Martin voltou a escrever livros, começando a escrever aquilo que eventualmente se tornaria a série de fantasia épica, As Crônicas de Gelo e Fogo (ostensivamente inspirada na Guerra das Rosas e em Ivanhoé), que terá sete volumes. O primeiro volume, A Game of Thrones, foi publicado em 1996. Em novembro de 2005, A Feast for Crows, o quarto volume da série, se tornou o livro mais vendido da lista do The New York Times, alcançando a mesma posição na lista do The Wall Street Journal. A série foi aplaudida por autores, leitores e críticos do mundo inteiro.
 
Em 15 de fevereiro de 2011, Martin se casou com sua namorada de longa data, Parris McBride, em uma pequena cerimônia para amigos e familiares em sua casa em Santa Fé, Novo México. O casal trocou alianças inspiradas em anéis célticos, feitos sob encomenda por artesãos locais.

Obras

Romances

  • A Morte da Luz (1977)
  • Windhaven (1981, com Lisa Tuttle)
  • Fevre Dream (1982)
  • The Armageddon Rag (1983)
  • As Crônicas de Gelo e Fogo (série):
    • A Game of Thrones
    • A Clash of Kings
    • A Storm of Swords
    • A Feast for Crows
    • A Dance with Dragons
    • The Winds of Winter
    • A Dream of Spring
  • Hunter's Run (2007, versão ampliada da novela "Shadow Twin", com Gardner Dozois e Daniel Abraham)

Novelas

  • Night of the Vampyres, originalmente em Amazing, 1975, republicada em The Best Military Science Fiction of the 20th Century
  • "The Skin Trade" (1989) da coletânea a seis mãos Dark Visions.
  • Colecção Dunk and Eggs:
  • 1-"The Hedge Knight" (1998), passado no mundo de A Song of Ice and Fire
  • 2-"The Sworn Sword" (2003), seqüência de The Hedge Knight
  • 3-"The Mistery Knight"
  • "Shadow Twin" (2005, com Gardner Dozois e Daniel Abraham)

Livros infantis

  • The Ice Dragon (publicado originalmente em 1980 , ilustrada e reimpressa em outubro de 2006)

Coletâneas

  • A Song for Lya (1976)
  • Songs of Stars and Shadows (1977)
  • Sandkings (1981)
  • Songs the Dead Men Sing (1983)
  • Nightflyers (1985)
  • Tuf Voyaging (1987, coletânea de histórias interligadas)
  • Portraits of His Children (1987)
  • Quartet (2001)
  • GRRM: A RRetrospective (2003; reimpresso em 2006 e 2007 como Dreamsongs)

Curiosidades

 
-  George possuí descendência alemã, britânica e italiana por parte de pai, e francesa e irlandesa por parte de mãe.
 
- Quando jovem, ele se tornou um leitor ávido de quadrinhos de superheróis. A edição de novembro de 1968 do Quarteto Fantástico possui uma nota ao editor que Martin escreveu quando ainda estava na escola. Ele credita a atenção que ele recebeu com a carta, junto com seu interesse em quadrinhos, como sua inspiração para se tornar escritor
 
Ele foi declarado como uma das 100 pessoas mais influentes do mundo em 2011 pela revista TIME.
 
- Martin foi um instrutor de jornalismo e, quando jovem, um diretor de um torneio de xadrez. Em seu tempo livre ele coleciona miniaturas com temas medievais, lê e coleciona livros de ficção científica, terror e fantasia, e aumenta sua grande coleção de quadrinhos, que incluí as primeiras edições da "era de prata" do Homem Aranha e do Quarteto Fantástico.

As Crônicas de Gelo e Fogo

 
Quando Martin estava entre os projetos de Hollywood, em 1991, ele iniciou a escrita de um romance de ficção científica chamado Avalon. Durante esse período, o escritor concebeu uma cena em que vários rapazes encontram um lobo gigante morto com um chifre de veado em sua garganta; o lobo tinha filhotes, os quais são tomados pelos jovens.
Colocando Avalon de lado, Martin começou a trabalhar nesta ideia e terminou um capítulo sobre ela poucos dias depois, tendo a certeza de que aquilo era parte de uma história muito maior. Depois de mais alguns capítulos, o escritor percebeu que seu novo livro era como uma história de fantasia e começou a desenvolver mapas e genealogias.
 
Em 1994 Martin termina o livro e disse a seu agente que o romance era parte de uma trilogia, originalmente composta pelos livros A Game of Thrones, A Dance with Dragons e The Winds of Winter. Com o passar do tempo, ele revisou sua estimativa e, em seguida, expandiu o seu planejamento para uma série de quatro livros, e posteriormente para uma de seis, que ele imaginou como duas trilogias interligadas de uma longa história. Martin, que gosta de títulos de ficção ambíguos porque enriquecem a escrita, optou por A Song of Ice And Fire como o título definitivo da série: um possível significado para "Ice and Fire" (em português, "Gelo e Fogo") é a luta das criaturas sobrenaturais frias conhecidas como Outros e dos dragões de fogo, enquanto "Song" (em português, "canção") decorre de obsessões de Martin com canções, que aparecem em muitos dos títulos de seus livros como A Song for Lya e Songs of the Dead Men Sing
 
O manuscrito pronto para A Game of Thrones era composto por 1.088 páginas (sem os anexos). A publicação do romance aconteceu originalmente em agosto de 1996. O segundo livro na sequência, chamado A Clash of Kings, foi lançado em novembro de 1998, com um comprimento de manuscrito (sem anexos) de 1.184 páginas. O volume seguinte, A Storm of Swords, teve cerca de 1.521 páginas no manuscrito (sem anexos); com este comprimento, o tomo causou problemas para muitos editores de Martin em todo o mundo. Em algumas línguas, ele foi dividido em dois, três ou mesmo quatro volumes. A Bantam Spectra, responsável pela publicação de A Storm of Swords nos Estados Unidos, conseguiu lançá-lo em um único volume em agosto de 2000, mas não sem dificuldades.
 
Após A Game of Thrones, A Clash of Kings e A Storm of Swords, Martin originalmente pretendia escrever mais três livros. Em 2000, o escritor disse que havia nomeado o quarto romance como A Dance With Dragons. Martin queria definir essa história cinco anos depois de A Storm of Swords, de modo que as personagens mais jovens se tornassem adultas e os dragões pudessem crescer. Entretanto, o escritor achou difícil fazer este trabalho sem uma excessiva dependência de flashbacks; posteriormente, ele anunciou que estava abandonando muito do que já havia sido escrito e reiniciando o trabalho imediatamente após o final de A Storm of Swords para criar um quarto romance diferente. Ele divulgou esta decisão juntamente com o novo título da obra, A Feast for Crows, e disse que, por consequência, A Dance with Dragons seria agora o quinto livro de As Crônicas de Gelo e Fogo.
 
Martin concordou com seus editores que o romance deveria ser inferior a A Storm of Swords, e ele começou a escrevê-lo mais perto do comprimento de A Clash of Kings. Em 2001, o roteirista ainda estava otimista de que A Feast for Crows pudesse ser lançado no último trimestre de 2002. No entanto, a história foi ficando mais complicada e o tamanho do manuscrito finalmente superou A Storm of Swords. Seus editores propuseram-lhe dividir o livro em dois volumes e lançá-los como A Feast for Crows: Parte I e A Feast for Crows: Parte II, mas Martin estava descontente com essa ideia.Aceitando o conselho de um amigo, Martin decidiu dividir o tomo por seus personagens e lugares específicos; assim, A Feast for Crows conteria todas as personagens do Sul dos Sete Reinos, enquanto o seguinte, A Dance with Dragons, conteria as personagens do norte de Westeros e as de Essos. Esta divisão seria apenas geográfica, uma vez que os enredos abordariam o mesmo período de tempo — nesse sentido, A Dance with Dragons não seria o quinto livro, mas sim um quarto romance paralelo, e ambos os volumes começam instantes após o final de A Storm of Swords.
 
Em uma declaração em maio de 2005, o autor disse ainda que este movimento significou que a série exigiria sete volumes. Com esses problemas de lado, A Feast for Crows foi finalmente lançado em outubro de 2005. No epílogo da obra, Martin mencionou que o volume seguinte sairia em um ano e que A Dance with Dragons estava semi-acabado. Apesar de esperanças iniciais de A Dance with Dragons ser publicado rapidamente, a escrita e o processo de revisão para este quinto livro foi mais difícil do que o previsto; o autor fez diversos anúncios — em 2007, 2008 e 2009 — de possíveis datas de publicação para a obra, porém todas foram adiadas. Durante algumas entrevistas, Martin explicou que o trabalho no romance demorou devido à complexidade do enredo, que envolve vários personagens e pontos de vista, o que exigiu que ele reescrevesse muita coisa até ficar satisfeito.
 
Depois de quase seis anos, A Dance with Dragons foi publicado nos Estados Unidos em 12 de julho de 2011. Após cerca de dois terços de narrativa, a história de A Dance with Dragons alcança a de A Feast for Crows e a ultrapassa, reunindo as duas correntes antes paralelas da trama. Com cerca de 1.600 páginas de manuscrito, o livro é o segundo mais extenso de toda a série, bem como o que levou mais tempo para ser concluído.
 
Insatisfeito com o título provisório A Time for Wolves para o sétimo e último volume,  Martin anunciou A Dream of Spring como nome oficial da obra. O escritor está decidido sobre o encerramento da série com o sétimo romance, mas ele deixa em aberto a possibilidade de um oitavo para concluir a saga. Ele também está confiante de conseguir publicar os volumes restantes antes que o enredo da série de TV que adapta As Crônicas de Gelo e Fogo alcance-o, embora Martin tenha contado os pontos mais importantes do desfecho da história para os dois principais produtores da atração, David Benioff e D. B. Weiss, caso ele venha a falecer antes de finalizar os tomos. (Com uma saúde considerada "robusta", à época do lançamento de A Dance with Dragons, em 2011, Martin possuía 62 anos). O autor revelou ainda que não permitirá que outro escritor termine a série de livros.
 
Apesar disso, ele revelou que deixou instruções a seus herdeiros para que não permitam que outro escritor termine a série caso ele venha a morrer.Ele já tem uma ideia de como a história irá terminar, bem como o futuro das personagens principais, com "elementos agridoces" onde nem todos viverão "felizes para sempre". Martin espera escrever um término semelhante ao da obra de fantasia O Senhor dos Anéis, que ele considerou satisfatório; por outro lado, o escritor reconhece o desafio de evitar uma situação como o final da série televisiva Lost, que deixou os fãs decepcionados. Por fim, Martin não exclui a hipótese de vir a criar histórias adicionais definidas em Westeros após o último livro, embora seja pouco provável que continue nesse caminho imediatamente.
 

Inspiração, Influências e Metáforas para As Crônicas de Gelo e Fogo

 
George R. R. Martin procurou ler muitos livros sobre as Cruzadas e sobre guerras como a dos Cem Anos e a das Rosas para formar uma sociedade medieval verossímil. O escritor afirmou que, no passado, teve problemas com certos livros que estava lendo porque, apesar de ambientados na Idade Média, nenhum deles respeitava fatos importantes da época, como a baixa expectativa de vida. Para ele, "apesar de ter castelos, princesas e cidades muradas", estes romances apresentavam "a sensibilidade dos norte-americanos do século XX"; ele não tinha interesse em fazer algo deste tipo, mas sim de escrever a combinação do "sentimento de admiração que você tem na melhor fantasia, com o realismo corajoso da melhor ficção histórica". Desta forma, a trama da série se assemelha mais a livros como Ivanhoé, de Walter Scott, e com as obras de Bernard Cornwell do que propriamente com literatura fantástica.
 
Além destas guerras, os livros são fortemente influenciados pelo romance histórico francês Os Reis Malditos, de Maurice Druon, situado nos séculos XIII e XIV; posteriormente Martin escreveu uma introdução para a tradução inglesa das séries, dizendo: "Os Reis Malditos tem tudo isso. Acreditem-me, os Starks e os Lannisters não tem nada comparado aos Capetos e os Plantagenetas. É o jogo dos tronos original."
 
 
Outro fato observado foi que em Westeros cada estação pode durar anos. No decorrer do primeiro livro, os Sete Reinos passam por um verão de quase uma década, e algumas personagens se preocupam com o fato de que o inverno possa durar mais do que isso. Sobre este aspecto, Martin admite que procurou dotar o longo período de duração das estações com alguns significados; o roteirista explicou: "Inverno e verão. [...] Todos temos os invernos em nossas vidas e não significa apenas as estações frias. O verão é uma época de crescimento, abundância e alegria. E o inverno é um período negro, onde você tem que lutar pela sobrevivência".
 
 
Além de fatos históricos, outros elementos reais também serviram de inspiração para As Crônicas de Gelo e Fogo. A ideia para a criação da muralha de gelo que protege Westeros das criaturas sobrenaturais veio de uma viagem que Martin fez em 1980 pela Escócia, onde o roteirista conheceu o Muro de Adriano — uma fortificação construída pelo imperador romano para proteger o "mundo civilizado" dos "bárbaros" que viviam no norte. Para a sua série, Martin transmutou as ruínas em uma edificação de gelo com centenas de metros de altura.

Premiações

  • "A Song for Lya", Hugo Award de 1975 por Best Novella.
  • "Sandkings", Hugo Award de 1980 por Best Novelette e Nebula Award por Best Novelette.
  • "The Way of Cross and Dragon", Hugo Award de 1980 por Best Short Story.
  • "Portraits of His Children", Nebula Award de 1986 por Best Novelette.
  • "The Pear-Shaped Man", Bram Stoker Award de 1988 por Long Fiction.
  • "The Skin Trade", World Fantasy Award de 1989 por Best Novella.
  • "Blood of the Dragon", Hugo Award de 1997 por Best Novella.
  • "A Storm of Swords", indicado ao Hugo Award de 2001 na categoria Best Novel.
  • "A Feast for Crows", indicado ao Hugo Award (Best Novel), Quill Award e British Fantasy Award de 2006.
  • "A Dance with Dragons", indicado ao Hugo Award de 2012 na categoria Best Novel.
 
 
Leitura de Cabeceira | George R. R. Martin e As Crônicas de Gelo e Fogo Leitura de Cabeceira | George R. R. Martin e As Crônicas de Gelo e Fogo Reviewed by Luara Moraes Leão on 21.10.15 Rating: 5

Nenhum comentário

Post AD