Header AD

Review: "The Hurt Locker, Part Two" (6x05) de Glee


"Eu acho essa mulher hilária". Concordo plenamente, Walter.

The Hurt Locker, Part Two, a continuação de um dos episódios mais hilários da história de Glee, se focou menos em Sue e mais nos corais, mas foi tão bom quanto. Enquanto a parte um nos fez rir até nossas barrigas doerem, a parte dois foi mais emocionada e emocionante, pois, por todos os lados, havia referências às primeiras temporadas da série.

Começando pela competição, que ocorreu na primeira temporada. E, vamos tomar um tempo para prestar atenção no figurino usado na performance de Somebody To Love, no início do seriado, e nesse medley apresentado agora. É indiscutível a semelhança. E, com isso, Ryan Murphy nos fez chorar mais uma vez. Pelo fim da série, pela lembrança dos dias de glória, pela lembrança de Finn, pelo futuro incerto desses jovens e pelos poucos episódios que nos restam.

O enredo do episódio, como tem sido toda a temporada, foi genial. O plano de Sue de reunir Kurt e Blaine continuou, primeiramente, quando ela tenta estragar o encontro de Kurt com Walter, um homem de 50 anos, divorciado e com dois filhos, que apareceu no episódio anterior. Depois, quando trancar o casal Klaine em um falso elevador com a temperatura em ascensão e a condição de se beijarem para poderem sair. Dando as condições, vemos um fantoche de Sue à moda de Jogos Mortais, que, ao mesmo tempo, nos assusta e nos faz rir.

O Armário da Dor de Sue voltou, porém apenas por duas cenas. Na primeira, vimos vídeos de Kurt e Blaine impossíveis de terem sido gravados, como diz Becky: "Mas isso era uma sequência de sonho. Como pôde filmar isso?", que, na minha opinião, foram uma crítica aos haters do programa, os quais alegam a "falta de realidade" nas sequências. Na segunda, vimos Sue contente por estar cumprindo o cronograma de juntar seu casal favorito.

Assim que o episódio começa, vemos a reação dos Warblers e do New Directions à apresentação do Vocal Adrenaline. Rachel entra em completo desespero, pois não tem um setlist pronto, seus alunos estão aterrorizados e nem possui o número necessário de participantes para as competições futuras. Então, Kurt dá a ideia de recrutar Kitty. Mas há um problema: ela odeia Rachel. E, nesse momento, vemos uma 'volta' da Rachel arrogante da primeira temporada misturada a uma Rachel que quer se redimir: "Eu nem aprendi os nomes deles. Tinha o irmão do Puck, e tinha a Mercedes travesti, e aquela com a mãe gorda e, sei lá, Raider." Depois de um trabalho árduo, Rachel consegue trazer Kitty para o New Directions de novo.

Sue hipnotiza Sam novamente, o que também traz um alívio cômico ao episódio, e este tenta beijar Rachel e convencê-la a colocar um setlist horrível para a competição, a mando de Sue. Porém, a morena rejeita e pede para que ele a ajude a recrutar novos membros para o coral. Em uma cena emocionante relembrando Finn, Sam convence Spencer de que, por mais que os outros não gostem, ele deve participar do coral, pois é o que ele gosta de fazer.

Agora, com o grupo um pouco maior, Rachel e Kitty invadem o escritório de Sue para conseguirem saber por quais músicas a diretora tem um ponto fraco e as usarem na competição.

Kurt e Blaine ficam desaparecidos por uma noite e, quando Rachel chama a polícia, somos surpreendidos com um rosto familiar: o ex-treinador do coral para surdos da primeira temporada. O desaparecimento faz com que os ex-namorados estreitem os lanços de amizade, mas podemos ver uma faísca romântica tanto quando se beijam para serem liberados quanto quando se olham no auditório, momentos depois.

A apresentação do New Directions foi genial. As músicas se encaixaram perfeitamente às vozes maravilhosas dos membros, com destaque a Spencer, que promete ser o líder vocalista masculino, tanto pela voz quanto pelas referências a Finn. As roupas que, como disse, lembravam às da primeira temporada formaram o conjunto perfeito para que continuemos acreditando. Durante a apresentação, vemos o Sr. Schue alegre e emocionado e Sue chora como uma criança ao som de suas músicas preferidas.

No final do episódio, vemos a "reconciliação" entre Sue e Will e a briga entre Will e Clint, estudante arrogante e rude do Vocal Adrenaline, que ameaça tirar Will do cargo. Assim, vemos que Mr. Schue é extremamente infeliz em seu novo emprego, como já tinha sido abordado em episódios passados.

E, por último, mas não menos importante, temos em The Hurt Locker, Part Two uma referência a Faberry! Finalmente, shippers! Kitty diz a Rachel: "Se você for ser lésbica com uma líder de torcida, acho que o mundo está torcendo para você e Quinn Fabray."

Glee
"The Hurt Locker, Part Two"

Episódio: 5
Temporada: 6
Estreia: 30/Jan/2015
Emissora: Fox

★★★★
Review: "The Hurt Locker, Part Two" (6x05) de Glee Review: "The Hurt Locker, Part Two" (6x05) de Glee Reviewed by Carolina Soares on 20.2.15 Rating: 5

Nenhum comentário

Post AD