Header AD

Literaturando: Humanismo

1) Contexto histórico
Situado na transição entre a Idade Média e a Idade Moderna, que trouxe consigo as cidades e o fim do feudalismo. Abandono do teocentrismo.

2) Gil Vicente
O autor de maior expressão do Humanismo Português foi Gil Vicente, que escreveu 44 peças, sendo a mais importante O Auto da Barca do Inferno. Pai do teatro escrito de Portugal, foi influenciado pelo Humanismo Italiano, usando o português arcaico e a medida velha.

3) Medida velha
Este tipo de verso é subdividido em outros dois: Redondilha maior e redondilha menor. A primeira possui sete sílabas métricas e a segunda, cinco sílabas métricas.

"Minha terra tem palmeiras
Onde canta o sabiá,
As aves que aqui gorjeiam
Não gorjeiam como lá."

"Sou bravo, sou forte
Sou filho do norte
Meu canto de morte
Guerreiros, ouvi"


4) Auto da Barca Inferno
O livro de maior expressão de Gil Vicente, tendo como características principais: intenção moralizante (dar lição de moral), personagens alegóricas (são abstratas e representação uma classe), conservadorismo

As personagens principais são o Anjo (sério e austero) e o Diabo (irônico e debochado), que devem decidir quem vai para o céu e quem vai para o inferno.

Fidalgo - representa a nobreza arrogante, prepotente e que gosta de humilhar os mais pobres. Isso fica explícito na vestimenta luxuosa, na cadeira e no pajem. Moral: da vida, não se leva nada material.

Onzeneiro - agiota, engana as pessoas e vive em função do dinheiro. Na época, a Igreja considerava agiotagem pecado. Isso fica explícito pelo bolsão de dinheiro vazio carregado por ele. Moral: da vida, não se leva nada material.

Parvo - humilde e ingênuo. Humilhado pela nobreza. Representa o tipo de pobreza pregado pela Igreja, por isso, vai para o céu.

4 cavaleiros - bravos, corajosos. Morreram defendendo a fé cristã nas Cruzadas, por isso, vão para o céu.

Sapateiro - comerciante ladrão, que enganava os clientes. Isso fica explícito pelo avental e pelas formas que ele leva consigo. Moral: da vida, não se leva nada.

Frade - representa a corrupção dentro da Igreja, através da quebra do celibato clerical e da adoção da vida mundana. Isso fica explícito através da mulher que vem com ele, do canto, da dança, da espada. Moral: existe corrupção na Igreja e, nem sempre, o lugar do padre no céu é garantido.

Brísida Vaz - alcoviteira mentirosa. Enganava os homens. Isso fica explícito pelo armário de mentiras com falsos hímens, abordando as falsas virgens. Moral: devia-se ser pura e não mentir.

Judeu - na época, era considerado pecado pela Igreja ser judeu, portanto, ele vai para o inferno. Isso fica explícito no bode que traz consigo.

Carregador e Procurador - corrupção da justiça, propina. Isso fica explícito pelos processos que eles trazem consigo. Moral: deve-se ser honesto.

Enforcado - foi punido em vida por ter cometido ator errados, por isso, vai para o inferno. Moral: deve-se seguir as leis e ser honesto.

Como pode-se perceber, a maioria dos pecados é associada à desonestidade e à ganância.
Literaturando: Humanismo Literaturando: Humanismo Reviewed by Carolina Soares on 8.10.14 Rating: 5

Nenhum comentário

Post AD